Menu

Versão
impressa

Edição impressa
Menu
Busca

Coronavírus

Jogos de Tóquio já sofrem consequências

Ao Destak, atletas contam como pandemia tem prejudicado sua preparação

17.03.20 3:00 Modificado em: 17.03.20 2:44

Em meio à pandemia, COI insiste em manter cronograma dos Jogos Olímpicos / AFP

Em meio à pandemia, COI insiste em manter cronograma dos Jogos Olímpicos / AFP

A pandemia mundial de coronavírus afeta gravemente os Jogos Olímpicos de Tóquio. O COI ainda insiste em realizar o evento na data prevista, entre 24 de julho e 9 de agosto. Mas mesmo que a competição não seja adiada, a preparação dos atletas e a classificação olímpica já estão bem comprometidas.
Com eventos esportivos sendo suspensos, o planejamento dos atletas para o semestre anterior à Olimpíada acaba prejudicado. Essa é a situação enfrentada pela canoísta Ana Sátila. Vencedora de dois ouros no Pan em 2019 e já classificada para Tóquio, ela participaria de duas competições (na Alemanha e na Eslovênia), como preparação para os Jogos, mas ambas acabaram canceladas.
“É muito difícil fazer a preparação sem saber o que vai acontecer. Muda bastante a rotina. Tínhamos  todo um esquema de competições de adaptação na Europa. Já estão sendo todas canceladas de última hora”, disse a canoísta ao Destak.
As italianas Marta Menegatti e Viktoria Orsi vieram ao Brasil no início de março para participar de um torneio de vôlei de praia com a presença de algumas das favoritas ao título em Tóquio. Além da oportunidade de encarar as melhores duplas, elas comemoravam o fato de terem saído da Itália antes de o país se tornar o maior foco do coronavírus na Europa. As duas competições que elas participariam, porém, foram canceladas.
“Já está atrapalhando. É um grande imprevisto que está afetando muito. Precisamos nos preparar para as competições que não sabemos se irão acontecer. Não sei se vamos voltar para lá [Itália]”, disse Menegatti.
A possibilidade de adiar a Olímpiada também não é descartada. E, nesse caso, esse seria o pior dos cenários, já que muitos atletas fazem seus planejamentos visando o auge da forma física no período dos Jogos.
“Eu espero que não seja adiado. Já comecei a preparação. Temos um planejamento até a Olimpíada e para o pós também. Espero que não mude. Até bater o martelo, temos que seguir o planejamento”, alertou o atual campeão mundial de ginástica, Arthur Nory.
Há, também, quem viva a incerteza até em relação aos treinamentos. De acordo com Fernando Possenti, técnico da nadadora Ana Marcela Cunha, eles trabalham sem saber o que pode acontecer no dia seguinte:  “Teve treino pela manhã, teve treino à tarde e tomara que tenha treino amanhã”, comentou.
Como medida para proteger os atletas, o COB limitou o uso do CT Time Brasil, que funciona no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro. Clubes e outras associações não poderão utilizar a sala de combates, nem a piscina.
O Comitê Olímpico Brasileiro cancelou a reunião que faria amanhã com as federações das modalidades para tratar da prevenção ao coronavírus e das classificações olímpicas. Há também a recomendação do órgão para que as confederações não realizem eventos, nem mandem atletas ao exterior.
COI discute critérios de classificação
O COI (Comitê Olímpico Internacional) convocou para hoje  uma reunião com as  federações internacionais das modalidades participantes dos Jogos de Tóquio para discutir os critérios de classificação.
O cancelamento de competições envolveu pré-olímpicos de algumas modalidades, como o boxe e o basquete 3x3, além de torneios que contariam pontos para rankings olímpicos, caso do judô e tênis. O presidente do COI, Thomas Bach, assegurou que o comitê irá flexibilizar os critérios de classificação.

DESTAK EDITORA S.A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização expressa. Copyright – Termos de uso