USP conhece método capaz de presumir gravidade do coronavírus

0
USP conhece método capaz de presumir gravidade do coronavírus
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A pandemia do coronavírus provocou uma série de intervenções da ciência mundial. Nesse sentido, pesquisadores do Instituto de Química de São Carlos (IQSC), da Universidade de São Paulo (USP) encontraram uma ferramenta com potencial para antecipar a gravidade da infecção por covid-19 nos pacientes. A análise engloba como base o plasma sanguíneo.

O sistema ainda pode atuar como método de triagem no atendimento dos infectados e ser integrado com o intuito de reduzir a evolução da doença. A revista científica Journal of Proteome Research publicou o estudo. De acordo com a pesquisa, os pacientes contaminados pela doença apresentaram variações na concentração de seis substâncias encontradas no sangue, chamadas de metabólitos.

Ainda segundo as avaliações, quanto maior o desequilíbrio na quantidade de substâncias como glicerol, acetato, 3-aminoisobutirato, formato, glucuronato e lactato no começo da infecção, mais acentuados eram os quadros de saúde que os pacientes apresentavam.

Em suma, cerca de 110 pacientes com sintomas gripas tiveram suas amostras de plasma sanguíneos analisadas. Todos eles passaram pelo Hospital da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em 2020. No geral, 57 deles apresentaram negativo para a infecção por Covid-19 e outros 53 testaram positivo para a doença.

Conforme os pesquisadores, 10 pacientes, dos infectados, tiveram complicações e precisaram ser internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), cujos quais dois morreram. O grupo em questão exibiu, no início da contaminação por Covid-19, variações mais registradas na concentração dos metabólitos citados.

Acima de tudo, os resultados do estudo podem apoiar, de acordo com o IQSC, o desenvolvimento de um novo protocolo clínico que auxiliaria médicos e hospitais a identificarem, nos dias primários de sintomas, pacientes com possibilidade de desenvolver o índice mais grave da doença.

Não há posts para exibir

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui